martes, 10 de junio de 2014

JORNADA DE DIVULGACIÓN CIENTÍFICO-TECNOLÓGICA

El lunes 9 de junio estuvo Wicho en nuestro centro.
Es el seudónimo  de Javier Pedreira (nombre que sólo emplea su madre);  en la vida real, este informático responsable de los Museos Científicos Coruñeses es, sobre todo, un hombre apasionado del mundo espacial.
Nos habló de sus viajes a la Nasa, de su pasión por volar y, en especial, de cómo divulgar los temas científico-tecnológicos que le apasionan a través de un blog http://www.microsiervos.com/
¡Un auténtico lujo! Gracias por venir.


miércoles, 4 de junio de 2014

PREMIO PRÍNCIPE DE ASTURIAS DE LAS LETRAS 2014

John Banville, Premio Príncipe de Asturias de las Letras 2014

El escritor irlandés Jonh Banville, de 68 años, se ha convertido este miércoles en el nuevo Premio Príncipe de Asturias de las Letras, según decisión del jurado reunido en Oviedo que lo premia por "su inteligente, honda y original creación novelesca" y, "a su otro yo", Benjamin Black -el pseudónimo que utiliza para escibrir novela negra-, por sus "turbadoras y críticas novelas policiacas".

lunes, 2 de junio de 2014

JORNADA DE GRADUACIÓN

El miércoles 28 de mayo, se celebró la fiesta de graduación de los alumnos de 2º de Bachillerato, se entregaron certificados, orla del curso y su Tutor procedió al principio del acto a pasar lista de la siguiente forma:
video

Todos os nomes
Dum lado o fio a tecer o nome vosso
Do outro a  agulha  á beira desta Roca
E digo: ai, Carlos Javier, o   Ar é Nosso!
Já está dito um nome pola minha boca

O fio passa por Baralhobre... um  eco
Quero dizer Seco
e Iván é o que toca
E  Rebeca, de judaico nome, que beleza evoca
Deixou os cabelos e a lama nos fios
Dos seus apelidos

Ai!, Maria, de Cordal tan fino
Á Igreja voltamos ao bater do sino
E assim Ángela, filha do domingo
Descasca Cortiças e não cai um pingo

Já tenho a rima para dizer Laura
Que sobe a Costa difícil dos Dias
 E olhai que límpida a aura
busca e rebusca por todas as vias

E o irónico nome do Doce Ismael
Seriam já treze cum bote de mel
A assim Fernández está no papel

Acende uma Candela, Chiqui, duma vez
 retoma o fio, não te perdas nas Cortiças
que aí temos Domínguez e Fernández outra vez
e Fátima despertando das preguiças


De estrutura inglesa vem Cristina
E também de ressonância alexandrina
e Malvárez  passa por este xadrez
mais uma vez.

A noite e o dia e o branco e o negro
Coincidem  à Alva, as duas num prego
Que a Fonte e o Seixo  separadas vão
Mas os  Gómez partilham o pão

Se Maria fica com a melhor parte
Sejamos sinceros: com que fica Marta?
Enfim, deixai ao Grueiro fazer essa  arte
 Com  Varela curta para que não parta

No meio do caminho vem Eugenia
De nome feliz pedimos a vênia
De não repetir o nome do templo
Que o diga Martínez e ponha um exemplo.


E se por muito que diga apenas acerta
Entre Abades contamos o nome de Berta
E Lópezes temos por pares coberto
 Rodríguez não é,  o nome é Roberto!

E digo Ana que é nome benéfico
E o Salgado mar e a tranquila voz
Formam o apelido que tem o sentido
Ao dizer Muñoz

Maria ou Paloma, realmente, não sei
Mas os Pinheiros e os Fornos de que jeito
Dizei-me, amigos,  os juntarei
E uma voz responde:  -isso está feito!

E vai o fio percorrendo a Patrícia nave
Que a este Porto arriba numa entrega
Com López às costas vai suave
E como um fardo o lança para a adega

E vai agora a trote ligeiro com Noélia
Um presente de Nadal uma vitória
Que sem Espada cruel e vil matéria
Segue o Regueiro da feliz memória

E o Regueiro continua entre Nogueiras
De Dom   Froilán os territórios corre
Aparece El- Rei por entre as eiras
É o Salório  que em Santiago morre.

Mas ressuscita este fio de auga
E digo novamente ouro e Laura
Em São Jõao  elevou-se tão veemente
Que o Te e o I e o E foram  Torrente.
E Laura surgiu tão novamente!

Que veio  dar sobre umas Torres
Que Daniel com Martínez aguentou
E vão rematando os fios e as cores
 Dos nomes que tecidos são quem sou

E o broche é um duplo broche bem tecido
Sobre os Barros adustos desta vida
Digo-vos o belo nome, é bem sabido: Lydia
E a Varela engasta  este sentido

Que deve ser bem pensado e refletido
Se quereis compreender o coração do Infante
Olhai para Lorena um breve instante
E ponde ponto final ao cometido.